Atividades Culturais

Museu da República homenageia presença nordestina no País

Museu da República homenageia presença nordestina no País

Museu da República homenageia presença nordestina no País

 

Na semana em que se comemora o Dia do Nordestino (8 de outubro), parte da programação do Museu da República, no Rio de Janeiro, será dedicada a celebrar a cultura do Nordeste. Desta quinta-feira (11) até domingo (14), às 15h, o Setor Educativo do Museu da República realiza visita mediada no Palácio do Catete com o tema O Nordeste na República. Na visita, o público poderá conhecer de modo mais aprofundado as presenças e ausências do Nordeste e seus representantes na história da República e na do próprio Museu.

 

O Museu da República, além de ter sido criado por um nordestino, o escritor maranhense, historiador e ex-presidente da Academia Brasileira de Letras Josué Montello (o qual dirigiu o museu de 1960 a 1967), foi morada também de presidentes nascidos na região enquanto palácio presidencial. 

 

Entre 1919 e 1922, o Palácio do Catete abrigou o presidente Epitácio Pessoa, advogado paraibano de Umbuzeiro. O próximo nordestino a estar na Presidência da República, ainda que somente por três meses e cinco dias, foi o magistrado José Linhares, nascido em Guaramiranga (CE). Ele substituiu Getúlio Vargas, deposto em outubro de 1945. Como Vargas governou sem vice-presidente desde 1930, o presidente do Supremo Tribunal Federal, José Linhares, era o primeiro da linha de sucessão. 

 

O último nordestino a ocupar o Palácio do Catete também substituiu Getúlio Vargas.  O advogado Café Filho, nascido em Natal (RN), era o vice-presidente da República quando Vargas se suicidou em 24 de agosto de 1954.

 

A história da República brasileira é marcada pelo protagonismo de nordestinos. A República foi proclamada em 15 de novembro de 1889 e coube ao alagoano Deodoro da Fonseca, natural da cidade de Alagoas (hoje, Marechal Deodoro) a responsabilidade de liderar o golpe militar que destituiu a monarquia e implementou o novo regime. O marechal Deodoro foi escolhido o primeiro presidente do Brasil, sucedido por outro marechal alagoano, Floriano Peixoto, nascido em Maceió. Porém, enquanto presidentes, Deodoro e Floriano trabalharam no Palácio do Itamaraty, no centro da cidade do Rio de Janeiro. 

 

O Palácio do Catete só se tornou sede da Presidência da República em 1897 e seu primeiro ocupante foi o vice-presidente Manoel Vitorino, médico, baiano de Salvador, já que o presidente Prudente de Moraes estava licenciado do cargo por motivos de saúde. Como as pedras nos rins viviam a incomodar Prudente de Moraes, Vitorino teve a oportunidade de ser presidente em mais de uma ocasião. 

 

Outros presidentes brasileiros nascidos no Nordeste sucederam-se à mudança da capital brasileira do Rio de Janeiro para Brasília, sendo os mais recentes José Sarney, Fernando Collor de Melo e Luiz Inácio Lula da Silva. 

 

Mas não apenas emblemáticos nordestinos estão representados no acervo do Museu da República. A Coleção Canudos, que registra por meio das fotografias de Flávio de Barros a Guerra homônima, é parte do acervo do Arquivo Histórico do Museu e declarado Memória do Mundo pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) em 2009. Na coleção, testemunham-se as contradições e conflitos presentes na passagem do Império para a República no Brasil.

 

A programação da Semana "Ser Nordestino" no Museu da República, contempla música, gastronomia, artesanato, poesia, cordel, dança, apresentações de forró, oficinas e atividades infantis, especialmente no dia 12 de outubro. Confira abaixo:

 

11/10 (Quinta-feira)

12h às 20h - Carioquíssima + Ser Nordestino

14h às 18h - Mesa redonda Nordeste: tradição e contemporaneidade

Mediador: Aderaldo Luciano

Convidados: Bráulio Tavares, Patrícia Porto e Mário Chagas

Encerramento com roda de poesia 

15h - Visita Mediada "O Nordeste na República"

 

12/10 (Sexta-feira)

9h às 20h - Carioquíssima + Ser Nordestino

9h às 18h - "Nordestinhos" atividades para crianças com temáticas nordestinas

10h às 11h30 - Oficina temática nordestina com a Trupe Pequena Alegria

13h30 às 15h30 - Construção da "Árvore da Vida" pelas crianças

16h às 18h Oficina temática nordestina com o Grupo Boi Raízes de Gericinó 

Especial "brunchinho" para crianças

 

13/10 (Sábado)

12h às 20h – Carioquíssima + Ser Nordestino

9h às 11h - Concentração no Largo do Machado e Cortejo Cultural

Bloco de Forró do Caramuela em direção ao Museu da República. O Bloco de Forró do Rio de Janeiro

Representantes dos 9 estados do nordeste

15h – Visita Mediada "O Nordeste na República"

15h às 16h - República da Poesia 

Os Goliardos 

Homenagem a Ascenso Ferreira 

Apresentação na Gruta do Museu

17h até 20h - Shows

Forró do Mará

Conterrâneos

 

14/10 (Domingo) 

12h às 20h – Carioquíssima + Ser Nordestino

15h – Visita Mediada "O Nordeste na República"

 

 

Agenda Cultural

SP/Sao Paulo

11º Festival Contemporâneo de Dança de São Paulo
ANÚNCIO

Envie um email para clorindo@arteecultura.com.br

by Magix