Atividades Culturais

Artigo-“CHAMADOS PARA FORA”

Artigo-“CHAMADOS PARA FORA”

“CHAMADOS PARA FORA”

O surgimento histórico da igreja – as primeiras conversões, os primeiros cultos e a vida inicial desta novel comunidade de salvos em Cristo teve início numa tradicional festa judaica, chamada de “Pentecostes”; quando os discípulos foram cheios do Espírito de Deus e iniciaram a pregação do evangelho e o testemunho da ressurreição de Cristo. Lucas registra no capítulo dois do livro de Atos este glorioso início e as principais características da nascente comunidade. Absolutamente tudo, no começo da igreja tem relação com a vontade soberana de Deus e sua ação sobrenatural – desde o método (a maneira como a igreja profetizada se torna projeto histórico) até o objeto (o Filho de Deus, como grão de trigo, morrendo para dar vida a muitos). O projeto de Deus em Cristo de reconciliar o mundo a Ele recebeu o nome de igreja e, só pode ser compreendido na sua totalidade a partir do termo grego “eclésia” – que significa “chamados para fora”. Este conceito tem a ver com a santificação dos filhos de Deus – tanto no Antigo Testamento quanto no Novo Testamento. A ideia do “chamar para fora” tem início com Abraão, quando este foi “chamado para fora da terra de seus pais” (Gn 12:1-3), a fim de ser levado para a terra que Deus daria aos seus descendentes. Abraão fora chamado para fora de um contexto de vida que não era de acordo com os padrões de Deus para ir a uma terra e iniciar uma linhagem da qual seria levantada uma nação que deveria viver segundo os padrões de Deus. Mais adiante temos outro evento de semelhante natureza, desta vez sob a instrumentalidade de Moisés. Este momento se dá quando Deus chama o seu povo “para fora” da terra do Egito, onde o termo “eclésia” é traduzido por congregação, que também não vivia segundo os padrões de Deus, com o objetivo de estabelecer finalmente o que fora prometido a Abraão. Uma análise teológica mostra que Deus chama seu povo, que é especial, para fora de um contexto que é adverso a Sua santidade, para ser um povo diferente, e que para isto precisa estar separado do mundo, o contexto contrário à vontade de Deus. Como igreja que é “eclésia” – chamados para fora – devemos viver, marcando este mundo com os sinais do Reino. Não faz e, jamais fará sentido à existência desta comunidade, chamada igreja, se não vivermos, semelhantemente à origem, em tudo submissos a vontade de Deus, a sua ação sobrenatural para ajudar-nos na missão, e uma práxis proclamadora do testemunho do evangelho aos que estão próximos e, ao mesmo tempo, aos que longe se encontram. A igreja é local e global. O cristão é localizado na sua congregação e cidade, mas, também é universalizado em seu alcance missionário, seja através da oração, da contribuição ou mesmo indo por todo o mundo.

Pr. José Marcelo -prjmarcelo.gv@hotmail.com

Igreja Batista Mineira

 

Agenda Cultural

RJ/Rio de Janeiro

Museu Imperial tem programação especial no Mês das Crianças. Todas as atividades são gratuitas

SP/Sao Paulo

Pianista Murilo Emerenciano apresenta-se na Sala Guiomar Novaes. O intérprete toca obras de Schubert, Scriabin, Beethoven, Liszt, Francisco Mignone e Chopin

/Brasil

Inscrições abertas para o 8º FICUNAM, na Cidade do México. Evento aceita inscrições até o dia 27 de outubro
ANÚNCIO

Envie um email para clorindo@arteecultura.com.br

by Magix